Tinker Bell uma égua que com muito amor superou barreiras

As pessoas do cavalo sempre tem histórias para contar sobre seus equinos. Acho que é um pouco como ter um filho, os pais sempre contam coisas sobre suas crianças.

Algumas vezes são narrativas de vitórias, superações ou relatos tristes. Tenho certeza que você que tem seu próprio amigo de quatro patas relinchante tem algo para contar.

A veterinária Karina Calciolari de Franca em São Paulo, nos contou como foi que a Tinker Bell apareceu em sua vida. É um lindo relato de superação, recuperação e conquista.

tinker3

Karina sempre foi  apaixonada por equinos, porém só pode adquirir seu primeiro cavalo aos 22 anos. Ela ainda estava na faculdade quando escolheu um baio amarilho meio sangue Quarto de Milha, que se chamava Goldy. Ele era seu companheiro e muito fiel, lhe deu muitas alegrias e troféus nas pistas de hipismo no interior de São Paulo. Mas no início de 2012 ela precisou vende-lo. Depois disso Karina ficou afastada dos cavalos e sentia muita falta da conviver com eles. Até o dia que ficou sabendo sobre uma égua Puro Sangue Inglês de corrida do Jóquei Clube de Franca, que na época era receptora de um programa de reprodução, sofria de uma doença grave no casco da mão e seria sacrificada. Seu proprietário não podia arcar com os custos de um tratamento. Mesmo com muitas dúvidas a jovem veterinária pediu para adotar a égua. Ela estava ciente da situação do animal, mas aceitou o desafio.

A égua, Tinker Bell chegou magra, desnutrida e muito apática. Seu pelo era ressecado e havia perdido mais de 40 por cento do casco da mão esquerda devido uma broca mal curada, além de ter muitos carrapatos e bicheiras. Foram meses e meses de curativos e cuidados. Com o apoio do hospital veterinário no qual Karina trabalha e o patrocínio de uma empresa que produz suplementos para casco e nutrição, Tinker engordou mais de 150 kg e teve seu casco recuperado completamente em 6 meses.

Com 4 meses de tratamento ela já era um animal ativo e saudável, sem dor ou claudicação, foi quando que por um acidente descobriram que ela estava no cio e que ovularia dentro de 1 ou 2 dias. Foi então que Karina percebeu que sua égua PSI poderia  realizar mais um dos seus sonhos, que era ter um potrinho em casa. Com a  inseminação artificial veio a gestação. E agora Tinker está no 10º mês de gestação e mora em uma chácara bem tranquila em São Carlos – SP.

Em um ano, a égua “descartada”, trouxe muita alegria a Karina, que é eternamente grata a ela. Hoje o pai da veterinária, que sempre teve medo de cavalos, é apaixonado pela égua e junto com sua filha está ansioso pela chegada do bebê.

Mais uma vez vemos aqui no Hipismo&Co como com dedicação e carinho esses animais espetaculares que são os cavalos conseguem se superar e nos retribuem com muito amor.

Karina é muito grata a Luciana Calça e ao Fernando Santos da empresa Lavizoo que juntos com ela abraçaram a causa da Tinker, ao Daniel Honsho e demais professores da Unifran que permitiram a permanência da égua no Hospital Veterinário por alguns meses, aos funcionários: Marão, que deu um empurrãozinho para que ela ficasse com a Tinker, ao Edivaldo que foi o responsável pelo casqueamento e ao Marcinho que sempre cuidou tão bem dela. Ela agradece também a todos os residentes e estagiários que de alguma forma ajudaram nos curativos, banhos e mimos. E faz um agradecimento especial  ao seu Pai, Leonelo, a quem ela deve todo o apoio e é quem cuida atualmente de sua querida égua.

tinker2

tinker1

tinker4

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...