Crueldade: vídeo flagra dono espancando cavalo

Moradores do bairro Retiro, em Contagem, fizeram as imagens e denunciaram o caso de crueldade.

Moradores do bairro Retiro, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, filmaram cenas chocantes de crueldade contra um cavalo. Nas imagens, um homem aparece espancando o animal na cabeça, na barriga e nas patas com um pedaço de pau. Ele ainda usa um chicote para torturar o bicho.

A denúncia chegou à Secretaria de Meio Ambiente da cidade que, em parceria com a Guarda Municipal e a Polícia Militar Ambiental, montou uma operação especial para resgatar o animal. No local, ele foi encontrado magro e bastante debilitado, com várias marcas pelo corpo das agressões que sofreu. O dono do animal, no entanto, não foi achado em casa.

O fiscal de meio ambiente Eric Machado ainda ressaltou que o cavalo vivia em condições precárias no imóvel.

— É um local pequeno, sem nenhuma condição sanitária e ambiental para este animal.

A vizinhança descreve o dono do bicho como uma pessoa de “poucos amigos”. Diante da situação, o cavalo foi resgatado e ficará sob responsabilidade da prefeitura. O homem poderá responder por maus tratos e pagar multa de até R$ 5.000.

crueldade

Fonte: Record Minas

Carroceiro suspeito de maus-tratos a cavalo é reincidente

Carroceiro nega maus-tratos; caso foi registrado em Mirassol (SP).

O carroceiro suspeito de maus-tratos a um cavalo, que morreu em uma rua do bairro Renascença, em Mirassol (SP), na última sexta-feira (27/03), já foi denunciado quatro vezes por maltratar animais. Boletins de ocorrência registrados na polícia confirmam a acusação. De acordo com moradores, ele é carroceiro há 30 anos e recolhe materiais recicláveis pelas ruas da cidade. Uma moradora registou o animal agonizando, pouco antes de morrer.

A Polícia Ambiental esteve no local, fez boletim de ocorrência e multou o homem. De acordo com os policiais, essa não é a primeira vez que ele deixa morrer um de seus animais em situação que caracteriza maus-tratos. “Já é a quarta autuação dele, ele é reincidente específico, essa multa dele vai ser encaminhada para o Judiciário. Segundo testemunhas, o cavalo foi espancado e abandonado pelo proprietário”, diz o tenente da Polícia Ambiental Emerson Mioransi.
O carroceiro José Carlos da Margarida nega maus-tratos. “Eu soltei o cavalo para dar uma andada e deitou no terreno, a cólica dele aumentou eu fui atrás de veterinário e polícia, mas não teve jeito”, afirma o carroceiro.
Moradores disseram que o dono abandonou o animal sem prestar assistência. A comerciante Daniela Cristina Teixeira soube do caso pelas redes sociais, foi ver o animal e ficou revoltada. “Ele estava desnutrido, muito machucado nas pernas e a água que ele tinha acabado de tomar nem fez efeito, logo que ele bebeu água ele morreu”, conta.

A morte do cavalo chamou a atenção de protetores de animais da cidade e região, que fizeram um abaixo-assinado contra este tipo de situação. A advogada Cristina de Souza é responsável pela ação. “Juntamente com a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), estamos tentando que ele perca o direito de ter animais porque ele mata um hoje, passam dois dias ele está com outro animal, está tratando da mesma maneira”, fala.
Em Mirassol (SP), uma lei municipal estabelece regras para carroceiros, mas que nem sempre é respeitada. “Tem um horário estipulado, das 8h às 18h tem um limite de tráfego e o peso máximo é de 250kg de tração. A gente vê que eles chegam a carregar quase meia tonelada em uma carroça e o animal não aguenta. Foi como ocorreu com esse, ele morreu de exaustão e excesso de trabalho”, afirma o vereador André Guirado (PHS).

carroceiro

 

Fonte: Globo.com

Campanha pelo bem estar dos cavalos em esportes equestres

Esportes equestres limpos e seguros para todos.

Após uma prova nacional de enduro nos Emirados Árabes, em que um cavalo quebrou as duas patas da frente e precisou ser sacrificado durante a competição. A Federação Equestre Internacional retirou os eventos de Enduro Internacionais realizados nos Emirados Árabes Unidos de seu calendário oficial.

Diante disso, a Clean Endurance lançou a proposta da campanha com o slogan “I run on Clean Water”. A ideia é que todos os atletas, independente da modalidade equestre, mas em especial os do Enduro, participem das competições com uma fita azul amarrada na cabeçada do cavalo. O objetivo é conscientizar sobre a importância de não dopar e de respeitar os limites do cavalo, mostrar que o animal não é uma maquina e devemos prezar pelo bem estar deles acima de tudo.

Essa é uma campanha em prol dos esportes equestres limpos e do respeito aos animais. Para os enduristas é uma forma de mostrar que o Enduro não é isso, não é forçar o cavalo a ultrapassar seus limites, pelo contrário, é respeitá-lo em primeiro lugar. A ação foi lançada pela comunidade do Enduro, mas pode e deve se expandir para as outras modalidades, pois infelizmente casos de doping e maus-tratos com cavalos acontecem em diversos tipos de competições hípicas.

Que tal aderirmos a essa campanha e usarmos uma fitinha azul para mostrar que apoiamos o esporte limpo e defendemos o bem estar dos nossos cavalos?

esporte equestre
Esse post foi sugerido pelo pessoal da Chevaux que é uma empresa que organiza eventos de enduro. 

Capacete bem guardado

O item mais importante de segurança no hipismo é o capacete.

Como o capacete pode salvar nossas vidas em uma queda do cavalo ele deve ser guardado com cuidado, então porque não um gancho especial para isso?

Encontrei no ETSY um pendurador que serve para todos os modelos de capacetes. Além de manter o seu equipamento protegido de arranhões ainda pode deixar seu quarto de sela mais organizado. O gancho é feito de aço pintado e tem o formato do capacete para segurar bem o equipamento.

capacete capacete

 

Curta a página do Hipismo&Co no Facebook.

Siga o Hipismo&Co no Twitter.

Siga o Hipismo&Co no Instagram. @hipismoeco.

Inscreva-se no canal do Hipismo&Co no Youtube.

 

Cabrestos para incêndio

casa

Uma boa ideia para emergências, cabrestos de incêndio.

Imagine as cocheiras do seu cavalo em chamas e o corre corre para salvar os animais. Nessas horas achar o cabresto de seu cavalo e coloca-lo pode tomar muito tempo. Por isso o pessoal do Stachowski Farm, que fica em Ohio nos EUA, teve a ideia de deixar cabrestos para emergência em um lugar de fácil acesso, junto com os extintores.

cabresto

Outra solução encontrada por eles foi deixar o equipamento mais simples para que facilite a colocação no cavalo, tirando a parte que prende em baixo da cabeça do animal. Vejam abaixo um tutorial para fazer o cabresto de incêndio, que é mais rápido para vestir em seu cavalo.

cabresto

Fonte: Schneiders

9 fotos que vão fazer você nunca mais andar nas carruagens de NYC

Porque não andar nas carruagens de New York City.

A organização não governamental PETA, People for the Ethical Treatment of Animals, postou em seu site algumas fotos com argumentos que vão te convencer a não andar em carruagens na cidade de Manhattan.

1. Porque os cavalos não são feitos para ficarem presos no trânsito.

carruagens

 

2 – Porque os cavalos  são mantidos em lugares  como este quando não estão trabalhando. carruagens

 

3. Porque às vezes carros colidem com eles.
carruagem

 

4. Porque os cavalos não têm airbags.
cavalos NYC

 

5. Porque alguns cavalos, como Jerry, entram em colapso e nunca mais se levantam.carruagem_NYC5

 

6. Porque Jerry não merecia ser arrastado.

carruagem_NYC6

 

7. Porque isso não faz o Central Parque “mais romântico.”
carruagem_NYC7

 

8. Porque os cavalos merecem liberdade.
carruagem8

 

9. Porque eles não merecem isso…

carruagem_NYC8

Cavalo da Polícia Montada morre eletrocutado na Arena Pantanal

Cavalo eletrocutado em Cuiabá.

Ontem no final de tarde no entorno da Arena Pantanal, em Cuiabá (MT), policiais militares da cavalaria montada faziam a ronda. Enquanto lá dentro Santos e São Paulo se enfrentavam em campo, do lado de fora uma cena absurda e lamentável. Um dos cavalos pisou numa área com lama, próximo a um poste de iluminação, levando um choque elétrico. O animal morreu na hora e o policial que o montava sobreviveu. A cela de couro e as botas emborrachadas do policial impediram que fosse eletrocutado também.

Dezenas de pessoas filmaram e fotografaram a cena que já ganhou fama nas redes sociais.

A Polícia Militar não se manifestou oficialmente sobre o acontecido. A área foi isolada até a chegada de técnicos da Rede Cemat – Energisa, que desligaram a energia.

O caso é grave e demonstra a falta de segurança e o risco a que está exposta a população que utiliza o entorno da Arena para lazer. Muitas pessoas poderiam ter morrido.

cavalo
Populares se aariscavam no local fotografando e filmando a cena. (Foto de Reprodução/Facebook)
cavalo
Cavalo ainda agonizou,relinchando, antes de morrer. (Foto de Reprodução/Facebook)

Fonte: Caldeirão Político

Curta a página do Hipismo&Co no Facebook.

Siga o Hipismo&Co no Twitter.

Siga o Hipismo&Co no Instagram. @hipismoeco.

Inscreva-se no canal do Hipismo&Co no Youtube.

Polícia montada em treinamento

Já falei aqui sobre o novo uniforme da Polícia Montada. Hoje encontrei um vídeo de um treinamento que fizeram no Regimento da PM no Rio Grande do Sul, para preparar os oficiais e seus cavalos para a Copa.

Essa simulação fez parte de um curso de especialização que aconteceu no 4° Regimento de Polícia Montada onde realizaram treinamento de: progressão no terreno, tomada rápida no terreno, dispersão no terreno, simulação de pressão dos manifestantes, prisão de manifestantes, avaliação de resistência física, intimidade com os equinos e também avaliação do emprego da tropa montada. Foram utilizados materiais de proteção para os homens e cavalos. Os manifestantes utilizaram barricadas, fogo e variados objetos de confronto, quão “simulação” se aproxima o máximo da realidade.

Vejam abaixo o vídeo da polícia montada em treinamento.

Polícia Montada

Curta a página do Hipismo&Co no Facebook.

10 razões para nao usar capacete de hipismo

Existem muitas razões para não usar capacete de hipismo?

Mesmo depois da FEI investir em campanhas e mudar regulamentos sobre o uso do capacete de hipismo existem pessoas que ainda usam desculpas para não fazer uso desse equipamento de segurança. Reuni algumas dessas razões e listei aqui, mas se você tiver um motivo diferente desses para não montar seu cavalo com um capacete na cabeça me envie um comentário.

1 – Capacete me dá dor de cabeça.
Talvez seu capacete não é do tamanho certo para sua cabeça, pode estar apertado ou ainda o modelo não é o ideal para você.

2 – Vai bagunçar meu cabelo.
Você pode continuar com as madeixas impecáveis mas talvez terá que ir para o hospital com uma séria contusão.

3 – Sou um cavaleiro experiente não irei cair.
Mesmos os mais qualificados cavaleiros caem e podem se machucar.

4 – Capacetes são muito quente.
Existem novos modelos de capacete de hipismo que tem sistema de ventilação deixando assim sua cabeça mais fresquinha.

5 – Na modalidade que pratico não é comum usar capacete.
Pode não ser comum, mas seria muito mais seguro usá-lo.

6 – Acabei de vir do cabeleireiro.
Se você usar capacete poderá voltar várias vezes ao salão de beleza e fazer lindos penteados, mas senão usar talvez você terá que voltar várias vezes ao hospital.

7 – Meu cavalo é manso.
Mesmo que seu cavalo seja dócil e tranquilo ele pode te derrubar ou até mesmo cair junto com você, por conta de um tropeção ou um susto.

8 – O capacete não combina com minha roupa.
Você pode customizar seu equipamento e assim ficar na moda e até lançar tendência.

9 – O cavaleiro que admiro não usa capacete.
Espero que nem seu ídolo ou você sofram uma queda.

10 – Meu cabelo fica fedido quando uso capacete.
Já experimentou lavar seu equipamento com mais frequência?

capacete de hipismo

Curta o Hipismo&Co no Facebook.

 

100 cavalos Brasileiros de Hipismo para a Polícia Montada do DF

Animais devem ter entre 3 e 7 anos e vão trabalhar 8 horas por dia. Batalhão da Polícia Montada da capital possui 249 policiais.

A Polícia montada do Distrito Federal vai reforçar o efetivo de cavalos do Batalhão para patrulhamento durante a Copa do Mundo. Serão adquiridos 100 cavalos por um custo de até R$ 3,08 milhões.

O prazo final para entrega de propostas terminou no início da tarde desta segunda (19). De acordo com o edital, os animais devem ser da raça “brasileiro de hipismo”, que possui porte elevado e é considerada ideal para o choque montado, segundo a PM.

A corporação informa que os cavalos são comprados com idades entre 3 e 7 anos e permanecem em serviço até 20 a 27 anos, trabalhando oito horas por dia. Depois deste período, os animais são doados para equoterapia e estudos em unidades públicas de ensino, como determina a lei.

A compra de novos equinos acontece porque o batalhão possui muitos animais acima dos 25 anos. Segundo a PM, o efetivo da guarnição é composto por cavalos acima dos 15 anos.

Além de ter porte avantajado, o “brasileiro de hipismo” é ideal para o choque montado porque é dócil, domesticado, não apresenta problema de desvio de personalidade e é fácil de ser treinado, informa a PM.

Os animais ficam alojados em baias e capineiras próprias e recebem alimentação controlada por veterinários da Polícia Militar. Segundo a corporação, o batalhão possui hoje 249 policiais.

polícia montada

Fonte: G1

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...