Cavalos de Alfred James Munnings

Obra do inglês Alfred James Munnings retrata cavalos.

Nascido em 1878 na Inglaterra, Alfred James Munnings, costumava retratar cenas rurais com cavalos e ciganos. Ele foi casado com duas mulheres que gostavam e viviam no mundo equestre.

Sua segunda mulher Violet McBride, transformou a casa e o estúdio de Munnings em museu após sua morte, em 1959. Conheça mais da obra do artista no site www.munningsmuseum.org.uk

Vejam abaixo algumas das obras com cavalos de Alfred Munnings.

cavalos
Copyright The Munnings Collection at The Sir Alfred Munnings Art Museum / Supplied by The Public Catalogue Foundation
cavalos
Copyright The Munnings Collection at The Sir Alfred Munnings Art Museum / Supplied by The Public Catalogue Foundation
Copyright The Munnings Collection at The Sir Alfred Munnings Art Museum / Supplied by The Public Catalogue Foundation
Copyright The Munnings Collection at The Sir Alfred Munnings Art Museum / Supplied by The Public Catalogue Foundation

Redemoinhos nos cavalos

Será que os redemoinhos que os cavalos tem na testa querem dizer algo?

Encontrei um texto sobre os redemoinhos nos cavalos. O cavaleiro norte americano Chuck Nifong tem uma teoria sobre os espirais que o pelo dos cavalos fazem.

Ele diz que dependendo da localização, tamanho e direção que o redemoinho tem, dá para se descobrir a personalidade do animal. Não sei se é verdade e ele não prova esse conceito, mas seria bem interessante se pudéssemos saber como o cavalo é só olhando sua testa.

Segundo Chuck se o redemoinho na testa for bem no meio dos olhos o cavalo é descomplicado e de boa índole. Se a espiral fica acima dos olhos, significa que o animal é inteligente e tem natureza reativa. Abaixo da linha dos olhos e mais longo, o cavalo é mais submisso. A direção que a espiral segue pode mostrar o lado que o cavalo tem mais facilidade de trabalhar. Se ele tiver mais de um redemoinho pode significar que o cavalo tem várias personalidades, e se forem muitos circulos o cavalo pode ser violento.

redemoinhos

Vou começar a fazer uma pesquisa nos cavalos que conheço para ver se essa teoria faz algum sentido. O meu cavalo tem o redemoinho no meio dos olhos e acima da linha, ele tem boa índole mas é cheio de vontades. Parece que bate com o que o Chuck fala.

E os redemoinhos no seu cavalo? Como são? Será que dá para entender um pouco mais do caráter dele?

redemoinhos

O texto de Chuck está no site Conversation With a Cowboy.

Haras em miniatura

Cavalos e seus equipamentos no Haras miniatura.

A jovem amazona Joyce Otto além de gostar de montar a cavalo, gosta de criar miniaturas para o seu pequeno Haras. Ela cria equipamentos de hipismo, como selas, cabeçadas, cabrestos, obstáculos e vários acessórios que são utilizados para montara pratica do hipismo, usando barbantes, tampinhas de lata, copinhos de plástico, canudos, escovas de dente e muitos outros materiais reciclados.

Os cavalos  e amazonas são de brinquedos, mas usam todos os equipamentos como em um Haras de verdade.

Vejam abaixo o capricho que a Joyce tem com seus cavalinhos.

Cavalo com capa em sua cocheira.
cavalo

Balde com escovas, limpa cascos e rasqueadeira.

Obstáculo cor de rosa, com paraflanco e varas.
haras

joyce4 joyce5 joyce6

Curta a página do Hipismo&Co no Facebook.

Siga o Hipismo&Co no Twitter.

Siga o Hipismo&Co no Instagram. @hipismoeco.

Inscreva-se no canal do Hipismo&Co no Youtube.

5 coisas que se tornam impossíveis quando se tem cavalos

Quem tem cavalos vai entender a lista abaixo que mostra algumas coisas que são impossíveis para os proprietários de equinos.

1 – Ter tempo livre nos finais de semana. Se não tem competição você vai querer treinar ou pelo menos ver seu cavalo.

2- Guardar dinheiro para luxos. Sempre terá uma despesa extra no final do mês com seu cavalo (veterinário, equipamento, ferradura etc..)

3 – Ficar 24 horas sem falar sobre cavalos. Quem os tem sabe como adoramos falar deles.

4 – Viajar para o exterior e não dar uma passadinha em lojas de materiais hípicos. Tem coisas que só encontramos em outros países e nossos cavalos merecem novidades.

5 – Passar por uma carroça puxada por cavalos e não olhar. Ficamos indignados com a situação desses animais e se pudéssemos ajudaríamos todos.

impossivel1

Citações com cavalos

Algumas frases de famosos sobre cavalos:

“Nunca devemos mudar de cavalo no meio do rio”
Abraham Lincoln

“O cavalo, como toda a gente sabe, é a parte mais importante do cavaleiro”
Jean Giraudoux

“Não se enforca um homem por ele ter roubado cavalos, mas para que os cavalos não sejam mais roubados”
George Halifax

“A liberdade. Como é difícil. Numa carroça, quem tem menos problemas é o cavalo”
Vergílio Ferreira

“Os cavalos da cavalaria é que formam a cavalaria. Sem as montadas, os cavaleiros seriam peões. O lugar é que faz a localidade”
Fernando Pessoa

“O que um príncipe aprende melhor é a equitação, porque o seu cavalo não o lisonjeia”
Plutarco

Foto por JuRibas | Jota Fotos

Ilustrações de um apaixonado por cavalos

Descobri o ilustrador Custer Cassidy que além de ser um ótimo ilustrador é um apaixonado por cavalo. Ele ilustrou vários livros educativos para cavaleiros. Suas ilustrações sempre tem um toque de humor.

Custer Cassidy é um nativo de Wyoming nos EUA. Em 1945 ele se alistou no exército e recebeu seu treinamento na  Cavalaria em Fort. Riley, Kansas. Ele passou a servir em um pelotão da cavalaria do Exército. Foi nessa época que Cassidy foi introduzido pela primeira vez ao Hipismo. Depois de sua passagem no exército, ele retornou ao Wyoming, mas não permaneceu por muito tempo no hipismo, ele foi chamado para servir durante a Guerra da Coréia.

Após o seu regresso aos Estados Unidos em 1952, Cassidy embarcou em uma carreira ao longo da vida como um cavaleiro profissional. Porém devido a uma séria lesão no tornozelo em 1953, ele largou o hipismo e voltou a seu hobby de infância, desenhar.

Nos últimos 50 anos, Cassidy fez ilustrações para a revista semanal The Chronicle, incluindo uma nova bandeira para a capa e gráficos para o site. Ele também publicou várias compilações de desenhos animados, incluindo Cartoon of Cassidy (1958), Hunt Country Cartoons (1966), e o melhor de Cartoons Cassidy (1997), bem como livros de outros autores, uma série de calendários e propagandas.

Capa do livro de ilustração de Custer Cassidy

Campeonato Brasileiro de Amazonas

Hoje acabou o Campeonato Brasileiro de Amazonas que aconteceu em Florianópolis na Sociedade Hípica Catarinense.

Na categoria Amazonas B (1,00m) a campeã foi a paranaense Fernanda Ceconello Seixas, já em 1,10m categoria Amazonas A amazona representante da Federação Sul Matogrossense de Hipismo, Isabela Sebben César foi a vitoriosa. Em 1,20m Amazonas a vencedora foi  Giulia Del Canton Scampini da Federação Paulista de Hipismo. E na categoria Amazonas Top altura 1,30m mais uma Paranaense foi para o lugar mais alto do pódio, a amazona Giovanna de Finis Sobania.

Pódio Amazonas Top 1,30m

Veja abaixo os resultados.

FINAL INDIVIDUAL 1,00M:
1º – Fernanda Ceconello Seixas (Federação Paranaense de Hipismo)
2º – Luciana Farina (Federação Gaúcha Esportes Equestres)
3º – Débora Ashley Glasman (Federação Hípica de Brasília)
4º – Sara Arroyo Amorim (Federação Paulista de Hipismo)
5º – Mariana Pettini (Federação Gaúcha Esportes Equestres)
6º – Beatriz Althoff (Federação Catarinense de Hipismo)

FINAL INDIVIDUAL 1,10M:
1º – Isabela Sebben César (Federação Sul Matogrossense de Hipismo)
2º – Paula Xisto Gama (Federação Hípica de Minas Gerais)
3º – Clarisse Teixeira (Federação Gaúcha Esportes Equestres)
4º – Vitória Ghizoni Junckes (Federação Catarinense de Hipismo)
5º – Luciana Gimenez Paes (Federação Sul Matogrossense de Hipismo)
6º – Victória Chaves Barcellos (Federação Gaúcha Esportes Equestres)

FINAL INDIVIDUAL 1,20M:
1º – Giulia Del Canton Scampini (Federação Paulista de Hipismo)
2º – Rafaela Albuquerque Zanatta (Federação Gaúcha Esportes Equestres)
3º – Marina Dal Agnol (Federação Gaúcha Esportes Equestres)
4º – Cristine Lopes (Federação Paranaense de Hipismo)
5º – Bianca Matarazzo Affonso Pereira (Federação Paulista de Hipismo)
6º – Nathália Mendes (Federação Catarinense de Hipismo)

FINAL INDIVIDUAL 1,30M:
1º – Giovanna de Finis Sobania (Federação Paranaense de Hipismo)
2º – Rianne Morais Clímaco (Federação Paulista de Hipismo)
3º – Thereza Tourinho (Federação Paulista de Hipismo)
4º – Stephanie Macieira (Federação Esportes Equestres Rio de Janeiro)
5º – Sofia Monteiro da Silva Scheer (Federação Catarinense de Hipismo)
6º – Karina Goldmann Lemos Torres (Federação Paulista de Hipismo)
RESULTADO DA COMPETIÇÃO POR EQUIPES:

Série 1,00m:
1º) FEDERAÇÃO GAÚCHA ESP. EQUESTRES: Camila Lucas de Seixas, Marina Pettini, Luciana Farina e Schirlei dos Santos
2º) FEDERAÇÃO PAULISTA HIP.: Maria Teresita Blanco, Bianca de Souza Rodrigues, Victória Ribeiro de Mendonça e Fabiana Mendes Teixeira
3º) FEDERAÇÃO CATARINENSE HIP.: Luciana Sandini Sant’Ana, Lara Rodi Marques, Gabriela Minatto Cherubini e Beatriz Althoff

Série 1,10m:
1º) FEDERAÇÃO GAÚCHA DOS ESPORTES EQUESTRES: Manuela Grazziotin Teixeira Lopes, Victória Chaves Barcellos, Thainan Teles de Souza Ferreira, Marta Bier Johannpeter
2º) FEDERAÇÃO SUL MATOGROSSENSE HIPISMO: Luciana Gimenez Paes, Isabela Sebben Cesar, Luana Arruda Curci
3º) FEDERAÇÃO CATARINENSE HIPISMO: Theodora Ghizoni Junckes, Juliana Elisa Lindemann, Isadora Ghizoni Junckes , Maria Vitória David Ludwig

Série 1,20m:
1º) FEDERAÇÃO GAÚCHA ESPORTES EQUESTRES: Beatriz Bier Johannpeter, Maíra Pfeiffer de Almeida, Marina Dal Agnol e Rafaela Albuquerque Zanatta
2º) FEDERAÇÃO PAULISTA HIPISMO: Bianca Matarazzo Affonso Ferreira, Carolina Lucchesi Olivieri, Isabella Lins Veiga Pinheiro, Giulia Dal Canton Scampini
3º) FEDERAÇÃO CATARINENSE HIPISMO: Maria Isabel Scheer, Lígia Pissolato Lemos, Nathália Mendes, Pauline Menegotti Horn

Série 1,30m:
1º) FEDERAÇÃO PAULISTA HIPISMO: Karina Goldmann Torres, Martha Lannes Schoeler, Bruna Mattos Appel e Joana Opice Leão
2º) FEDERAÇÃO CATARINENSE HIPISMO: Sofia Monteiro da Silva Scheer, Sara Pereira Willrich, Mariana Cassetari e Thaís Marques
3º) FEDERAÇÃO PARANAENSE HIPISMO: Giovanna de Finis Sobania, Adriana Busato e Tina Louise Vargas

Fonte e Foto: PorForadasPistas

Reprodução Equina

Durante sete meses a partir de outubro, a maioria das raças eqüinas entram na Estação de Monta. Este é um dos períodos em que médicos-veterinários redobram os cuidados com animais. A raça Puro Sangue Inglês é a única que foge deste período. A Estação de Monta do Puro Sangue vai de 15 de agosto a 15 de fevereiro e o registro dos potros é feito em primeiro de julho. As demais raças, no entanto, utilizam a primavera e o verão como o período para o acasalamento.
O método de cobertura ainda é o mais tradicional em quase todas as raças.

Para garantir qualidade durante a Estação de Monta, recomenda-se a Monta Controlada, embora se use muito, no caso do cavalo crioulo, a monta de campo, onde os animais ficam soltos. A Monta Controlada é feita em bretes, através do controle folicular.
A égua que estiver ovulando é recolhida com o garanhão. Além de poupar os animais, evita-se qualquer tipo de lesão.

Inseminação

A inseminação artificial, embora não seja uma regra entre a maioria das raças, tem se mostrado eficiente, conforme afirma o médico veterinário Fábio Prates. Enquanto um cavalo Crioulo pelo método convencional pode cobrir até 100 éguas na temporada, através da inseminação artificial este número pode dobrar para 200 éguas. “Isto representa economia em todos os aspectos”, reforça Prates. A inseminação pode ser feita a fresco ou congelada. Quando o processo é a fresco, o sêmen é coletado do garanhão através de uma vagina artificial com temperatura adequada. Cada ejaculação pode fecundar 5 fêmeas. Já a inseminação com sêmen congelado não precisa ser feita imediatamente após a coleta do material, pois existem técnicas especiais para manter o material em perfeito estado de qualidade pelo tempo que for necessário.
A inseminação, além de economizar garanhões, evita doenças sexualmente transmissíveis, aumenta o número de coberturas e é extremamente higiênico.

Transferência

A transferência de embrião é utilizada em caso de éguas que participam de competições e não podem perder tempo com a prenhez. Para manter a qualidade do plantel, depois de coberta pelo garanhão escolhido, o embrião é retirado, com 6 ou 7 dias, e introduzido em outra égua para a gestação. É a chamada mãe de aluguel. Uma égua valorizada para competições pode dar de 4 a 6 crias por ano, sem interromper sua atividade. A técnica de retirada do embrião de 6 a 7 dias tem garantido 85% de prenhez nas mães de aluguel.

 
Reportagem e pesquisa: Ana Lúcia S.Teixeira
Fonte: Horseonline

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...