Uso do capacete no Equador

Em um centro equestre no Equador existe uma placa que avisa os cavaleiros a usar capacete.  Acho que os clubes hípicos, haras, centros equestres e qualquer lugar onde se monta a cavalo, aqui no Brasil, deveriam seguir a dica e tornar obrigatório o uso do capacete de segurança.

Segundo a fanpage da FEI no Facebook no Equador essa placa pode ser vista em todos os lugares em que se pratica equitação.

Veja abaixo a foto da placa no Equador.

fei_casco_equador

Menina de 3 anos muito habilidosa com cavalos, porém sem segurança

Tem alguns vídeos no Youtube de uma menina linda de 3 anos de idade montando uma égua enorme.

A pequena trota, recua e galopa com muita habilidade. Sem dúvida nenhuma a menina é corajosa e monta como uma amazona adulta. A égua apesar de ter apenas 6 anos é muito dócil e está muito bem adestrada. Mas nada disso é desculpa para essa criança estar montando sem capacete.

No meu ponto de vista pode ser o cavalo mais manso de todos e a criança mais habilidosa, mas o uso do equipamento de segurança como capacete e colete deve ser obrigatório. Pois sempre pode acontecer um acidente, como um simples tropeço do animal e a criança cair. Usando pelo menos o capacete sérias contusões podem ser evitadas.

Vejam os vídeos abaixo.

Uso do capacete em competições de adestramento

A Federação Equestre Internacional iniciou uma campanha para proteção do Atleta, implementando o uso do capacete protetor. Para isso foi redigido um novo texto para o Art. 427, do Regulamento daquela Federação, que entra em vigor a partir de 1º de janeiro de 2013.

A Confederação Brasileira de Hipismo modificou seu regulamento de acordo com a nova regra da FEI. No adestramento os cavaleiros e amazonas com menos de 18 anos e que montem cavalos com menos de 7 anos devem usar o capacete.
O Art. 427, no item específico a uniformes, passou a ter a seguinte redação, a partir da data acima citada:

1. Capacete protetor e cartola/chapéu coco

Como regra geral o capacete protetor deve ser usado por todos os Atletas (bem como por qualquer pessoa) todo o tempo, quando montado.

Qualquer Atleta (bem como qualquer pessoa), violando essa prescrição deverá ser imediatamente proibido de continuar montando, até que coloque o capacete protetor na cabeça.

A seguinte exceção é aplicada: Atletas com 18 anos ou mais*, montando cavalos de 7 anos ou mais velhos podem usar uma cartola/chapéu coco, ao invés de capacete protetor. Entretanto, essa exceção é limitada à competição e o respectivo aquecimento, imediatamente antes da referida competição (sem nenhuma interrupção antes da mesma), a qual inclui o deslocamento entre as cocheiras e a área de aquecimento, o aquecimento na área específica da competição e o retorno às cocheiras.

No entanto, é recomendado que os Atletas abrangidos por essa exceção usem o capacete protetor em todos os momentos, para sua própria segurança.

Um capacete protetor com a forma de uma cartola pode ser usado nas mesmas situações como uma cartola padrão. *Um Atleta é considerado possuir 18 anos de idade, desde o início do ano (1º de janeiro), no qual atingirá a idade de 18 anos.

cbh

Fonte: CBH

FEI lança campanha para o uso de capacete em todas as modalidades de Hipismo

A FEI iniciou uma nova campanha que promove o uso de capacetes de protecção entre os cavaleiros de todas as modalidade. Em janeiro passará a valer a nova regra da FEI sobre capacetes de segurança.

A campanha, que será realizada principalmente online, começou duas semanas antes da nova regra entrar em vigor, A regra torna a utilização do capacete devidamente fixado obrigatória ao montar no local de concursos da FEI.

O sistema de Advertência – Cartão Amarelo já em vigor será usado para os atletas
que não cumpram a nova regra. Um cartão amarelo de advertência será dado para um
atleta ser lembrado de que ele precisa usar capacete de proteção e também para
atletas não cumpram a leia após lembrete inicial.

Veja aqui a circular da FEI sobre a nova regra.

fei_helmet

Fonte: FEI

Capacete obrigatório para todos os cavaleiros na Florida

O Palm Beach International Equestrian Center na Forida, passou a impor uma nova regra que todos os cavaleiros e amazonas devem usar capacete em suas instalações. Não apenas os cavaleiros que estão em competição, mas todos que montarem a cavalo deve usar um capacete de protecção em todos os momentos. O capacete teve  ser usado  mesmo em cerimônias de premiação.

O anúncio foi feito apenas um mês após a morte do cavaleiro veterano  Donald V. Little, que morreu 29 de fevereiro após um acidente de cavalo, apesar de estar usando capacete.

Capacetes têm sido um problema no mundo do cavalo. Em 2009, o legislativo estadual aprovou uma lei que exige que as crianças menores de 16 anos a usar um capacete ao montar um cavalo em propriedade pública.

Capacetes são considerados de rotina na modalidade salto,  mas cavaleiros de outras modalidades resistem em usar, como os cavaleiros de adestramento.

Instalações do Palm Beach International Equestrrian Center

Fonte: Palm Becah Post

Capacete de equitação feminino

A GPA lançou o primeiro capacete de equitação especialmente desenvolvido para mulheres, o capacete GPA First Lady.

O GPA First Lady tem boa ventilação, segurança, leveza e forros removíveis, além disso o capacete tem a aba mais larga para proteger a pele da amazona contra os danos do sol.

Duas versões disponíveis: com couro e sem couro. O capacete sem couro vem nas cores: Preto, Navy, Chocolate, Cinza. O de couro: Chocolate / Chestnut couro, Chocolate / couro ouro, couro preto / preto, cinza / cinza de couro.

Acho muito valida a idéia de proteger a amazona do sol, porém não sei se a aba mais larga irá agradar as amzonas brasileiras.

E você o que achou do modelo feminino de capacete da GPA?