Cavalo encontrado no Rio Grande do Sul, teve que ser sacrificado

Dono do equino disse que havia perdido o cavalo após um rodeio

Teve um desfecho triste a história do cavalo que foi encontrado agonizando no distrito de Vila Oliva, em Caxias do Sul. O animal teve que ser sacrificado devido aos ferimentos. O procedimento foi realizado por um veterinário voluntário, na noite de segunda-feira.

cavalo resgatado

O caso gerou comoção nas redes sociais e evidenciou, mais uma vez, a inexistência de um serviço público para atender bichos de grande porte em situação de risco na cidade. Na segunda-feira (21/11), o agricultor Leandro César Linberger encontrou o equino na estrada Luiz Daneluz. Compadecido, Linberger removeu o animal para perto de um galpão e tentou buscar ajuda. Ele só conseguiu auxílio no meio da tarde por meio do tradicionalista Solimar Daneluz e do voluntário Romanci Bessegato.

No final da tarde, o veterinário Douglas Telles examinou o cavalo e aplicou uma anestesia para aliviar a dor. Nesse meio tempo, o dono do animal soube do caso e apareceu em Vila Oliva.

— Não tinha mais como resolver e o veterinário entendeu que o animal precisava ser sacrificado. A pata  estava pendurada — diz Solimar.

Segundo o tradicionalista, o equino havia sido usado no rodeio do distrito no último final de semana. Morador de Fazenda Souza, o dono integra um piquete e teria deixado o animal num potreiro com a intenção de buscá-lo na segunda-feira.

— Ele disse que voltou para buscá-lo e mas não encontrou-o. É um homem pobre, sem condições, que ficou desesperado quando viu a situação — conta Solimar.

Com o consentimento do proprietário, o veterinário realizou a eutanásia por volta das 22h de segunda-feira.

A suspeita é de que o animal tenha sido atropelado, pois há marcas de pneus próximo ao ponto onde ele foi achado. A Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma) investigará se houve maus-tratos. A reportagem não conseguiu localizar o dono do cavalo.

 Fonte: Pioneiro

 

Hiperflexão de pescoço do cavalo

A hiperflexão é um “método” de trabalho do cavalo de ensino numa atitude baixa e redonda, ao qual no início se chamou “Rollkur”.

Para quem nunca ouvou falar em “Rollkur” ou hiperflexão, é quando o cavalo é trabalhado muito baixo, muito enrolado, com o nariz quase no peito. Veja um exemplo abaixo.

hiperflexão

Existe muita polemica em torno da hiperflexão do pescoço dos cavalos, tanto que a Federação Equestre Internacional (FEI) só permite esse método por curtos períodos.

A discussão sobre a hiperflexão, se deve porque alguns cavaleiros acreditam que seja prejudicial a saúde dos cavalos e outros pregam que é uma técnica quando utilizada corretamente não traz malefícios ao animal e sim ajuda na performance dos cavalos em competições de adestramento.

O grande defensor e utilizador da hiperflexão no adestramento é Sjef Janssen treinador da amazona holandesa Anky Van Grunsven,  tricampeã olímpica.

hiperflexao2

Os adeptos da técnica dizem que o cavalo fica mais submisso com o uso hiperflexão nos aquecimentos antes das provas. Será que isso não é porque a hiperflexão leva a uma fadiga física e psicológica do cavalo?

A baba que vemos em cavalos em hiperflexão acontece por eles não conseguirem engolir, pois quando o cavaleiro puxa a cabeça do animal em direcção ao peito, a língua enrijece. Sem contar que  quando o pescoço está hiperflectido, a laringe fica comprimida dificultando a respiração do cavalo.

Ao serem montados com o chanfro perto da vertical, os cavalos têm a sua visão direccionada para baixo, de modo que não conseguem observar o que se passa directamente à sua frente. Quando o cavalo é obrigado a manter a cabeça atrás da vertical em hiperflexão, quer dizer que, no máximo, vê o chão junto às suas mãos.

Na hiperflexão, a parte de cima da coluna vertebral está excessivamente flexionada e em grande esforço.  Ao trabalhar o cavalo com esse metodo, com os músculos e ligamentos entre as vértebras em extensão até ao seu limite, deixa de haver tónus muscular e os ligamentos alongam perdendo a sua elasticidade.

hiperflexao3

 

Agora eu pergunto será que vale fazer o cavalo passar por tudo isso só para obter melhor nota em uma competição? O que você acha sobre essa técnica de hiperflexão do pescoço do cavalo?

Abaixo vejam um vídeo da amazona Anky Van Grunsven explicando sobre como é o trabalho de hiperflexão que ela faz com seus cavalos. Ela explica que deve se saber fazer, que não é uma técnica para cavalos novos e que ela não trabalha seus animais todos os dias assim. Ao final do filme tem algumas imagens dela montando com o método de hiperflexão.

Curta a página do Hipismo&Co no Facebook.

Siga o Hipismo&Co no Twitter.

Siga o Hipismo&Co no Instagram. @hipismoeco.

Inscreva-se no canal do Hipismo&Co no Youtube.

Alongamento para cavalos

Alguns exercícios de alongamento para cavalos.

Encontrei uma imagem com alguns exemplos de exercícios básicos de alongamento equinos.

São movimentos simples, que podem ser feitos com ajuda de cenouras ou outro tipo de petiscos para seu cavalo. Lembrando que é importante perguntar para o veterinário do seu animal se ele pode fazer esses alongamentos.

Eu faço alguns desses exercícios de alongamento com meu cavalo Mufassa. Ele adora porque é a hora de comer uma guloseima.

Veja abaixo um rápido tutorial.

Alongamento

 

Acupuntura: equinos também merecem

Mais que um tratamento, acupuntura também pode ser utilizada para prevenir pequenas lesões em cavalos de competição.

Acupuntura é um tratamento tradicional da medicina chinesa que consiste na inserção de agulhas finas em pontos específicos do corpo para prevenir e tratar doenças. Depois de ganhar milhares de adeptos pelo mundo, agora ela está sendo usada também em clínicas veterinárias, e reconhecida como um tratamento útil para uma vasta gama de condições.

Muitas vezes é usada em combinação com os cuidados veterinários convencionais, de modo que o paciente experimenta das várias vantagens dos efeitos destes tratamentos combinados. Pode ser utilizada para quase todas as condições médicas, com exceção de tumores malignos, fraturas e insuficiência irreparáveis de órgãos. Para os cavalos, a acupuntura é utilizada, principalmente para aliviar sinais clínicos que incluem: rigidez, incapacidade de movimentos, irritabilidade, dores musculares, artrite, problemas digestivos, respiratórios e reprodutivos.

Por meio da inserção de agulhas, a acupuntura estimula as minúsculas terminações nervosas que realizam o envio de impulsos para o cérebro. Isto resulta em respostas do sistema nervoso que libera os hormônios necessários para o bom funcionamento dos órgãos e tecidos. Daí a necessidade de ser realizada por um médico veterinário que detém o conhecimento profundo sobre anatomia e fisiologia animal.

Um profissional que pratica a acupuntura em equinos vai olhar para todo o cavalo e não apenas para a parte doente. Deve ser avaliada, em primeiro lugar, a razão pela qual a doença se desenvolveu. Em seguida, trabalhar para que o objetivo de um tratamento de acupuntura seja atingido, que é o de restaurar o paciente a um estado de equilíbrio. Para finalizar, a acupuntura não deve ser utilizada apenas como tratamento. Ela também tem um papel valioso na prevenção, principalmente, para os cavalos de competição que são mais propensos a desenvolver pequenas lesões. Procure uma clínica especializada em reabilitação veterinária e tire suas dúvidas.

acupuntura

 

Fonte: Vet Energy

Castanhas nos cavalos

Os cavalos possuem castanhas na parte interna das patas.

Muitas vezes pessoas que não estão acostumadas a conviver com cavalos, acham que o animal se machucou ou tem algo errado quando percebem as castanhas nas patas.

Castanhas são calosidades encontradas, geralmente, na parte interna e acima dos joelhos dos membros anteriores do cavalo. Sempre que tento explicar o que são e para que servem as castanhas nos cavalos, acho que não convenço o interrogador.

Sem evidência científica, algumas teorias consideram que as castanhas são resquícios de dedos que os ancestrais dos equinos possuíam. Outras dizem que ali era onde as patas dos cavalos se juntavam quando eles estavam dentro da barriga de sua mãe, para facilitar na hora do parto e assim as patas dianteiras se deslocarem juntas na hora de sair de dentro da égua.

A área apresenta formato e tamanho variáveis e tem sido usada, tradicionalmente, para auxiliar na identificação individual dos animais, inclusive servindo como impressões digitais.

Já ouvi pessoas dizendo que os cavalos usam as castanhas para limpar e coçar os olhos, quando esfregam sua cabeça entre as patas.

Fazendo uma breve pesquisa soube que algumas pessoas cortam ou lixam as casquinhas das castanhas. Eu nunca cortei e nem mexi nisso. E você alguma vez precisou cortar as castanhas do seu cavalo?

castanhas

castanhas

Curta a página do Hipismo&Co no Facebook.

Siga o Hipismo&Co no Twitter.

Siga o Hipismo&Co no Instagram. @hipismoeco.

Inscreva-se no canal do Hipismo&Co no Youtube.

Feliz dia do veterinário!

Feliz dia do veterinário.

Foi no dia 9 de setembro de 1933, através do Decreto nº 23.133, que o então presidente Getúlio Vargas criou uma normatização para a atuação do médico veterinário e para o ensino dessa profissão. Em reconhecimento, a data passou a valer como o dia do veterinário.

Todo mundo que tem cavalos, principalmente animais de esporte, tem pelo menos um veterinário na sua agenda de telefone. Esse profissional é um dos mais importantes para nós do hipismo.

Por isso desejo um feliz dia do veterinário para todos aqueles que escolheram essa carreira tão linda.

dia do veterinário

Curta o Hipismo&Co no Facebook.

10 modelos de tosa para cavalos

No inverno algumas pessoas usam a tosa em seus cavalos.

Tem gente que é contra e outros super a favor da tosa em cavalos no inverno. Alguns alegam que tiramos a proteção natural do animal contra o frio e outros dizem que a tosa ajuda a prevenir fungos e até algumas doenças respiratórias, pois com o pelo longo e grosso o cavalo demora mais para secar após o trabalho.

Eu já tosei algumas vezes meu cavalo, esse ano ele não ficou peludo então nem pensei em tosa-lo. Mas confesso que acho bem mais interessante equinos com o pelo fino e aparado.

Fiz uma seleção de imagens com cavalos tosados de maneiras artística. Não acredito que pessoas que pratiquem modalidades clássicas irão usar alguma dessas tosas. Mas achei algumas delas bem divertidas.

Vejam abaixo e me digam qual delas você mais gosta, tem desde as mais engraçadas e elaboradas até as mais delicadas. Mesmo que você não goste aposto que vai dar um sorriso ao ver essas fotos de cavalos tosados.

tosa cavalo equino clipping clipping5 tordilho zebra cavalo hipismo girafa

Essas imagens encontrei no Pinterest.

Sigam o Hipismo&Co no Pinterest.

Mormo: Mato Grosso do Sul confirma mais três casos da doença

Animais estavam na propriedade onde foi registrado o primeiro caso de mormo.

A Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal de Mato Grosso do Sul (Iagro/MS) confirmou na última quinta-feira (28) a ocorrência de mais três casos de mormo equino no estado. Os três novos casos foram registrados na mesma propriedade rural em que o primeiro caso da doença foi notificado, em Bela Vista (MS).

Os três animais foram sacrificados e incinerados e a propriedade permanecerá interditada até que haja confirmação da eliminação da doença no local. A confirmação dos novos casos veio após os resultados dos exames laboratoriais para detecção da doença realizados nos outros 57 animais da fazenda. Com isso, agora são quatro casos registrados de mormo em Mato Grosso do Sul.

Mais testes serão realizados nos animais da propriedade no intervalo de 45 a 90 dias.

mormo

 

Fonte: Noticias da Pecuária

Botas de plástico para cavalos

Botas que substituem as ferraduras.

A Renegade Hoof Boots é uma bota de plástico que pode ser usada no lugar das ferraduras. Existe uma corrente de pessoas que preferem não usar ferraduras em seus cavalos acreditando que os cascos se tornam mais forte.

As botas veem em dois modelos, o que pode ser retirado a qualquer momento e um que deve ser colado ao casco e só é retirado na hora de casquear. Elas são fabricadas em várias cores e tem até com gliter.

Vejam como são as botas da Renegade nas fotos abaixo.

bota hoof boots ferradura casco cavalo

Mormo em Santa Catarina

Animal em São Cristovão do Sul com mormo será sacrificado.

Rodeios, exposições e cavalgadas de Santa Catarina foram cancelados nesta semana por uma orientação da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc). Conforme o órgão, na terça-feira (7) a instrução foi repassada aos organizadores de eventos pela circulação no estado de uma bactéria que causa doença pulmonar em cavalos e é transmitida para humanos, chamada mormo.

De acordo com o gerente técnico da Cidasc Gecio Meller, na noite de segunda-feira (6) a companhia recebeu a confirmação do Ministério da Agricultura que um cavalo de uma propriedade rural de São Cristovão do Sul, na Serra catarinense, estava com a bactéria.

Havia 11 anos que a doença não afetava animais em Santa Catarina. Apenas este caso foi confirmado até esta quinta-feira (9).

“Agora a Cidasc fará o levantamento para descobrir como esse animal contraiu a doença. Ele será sacrificado e a região ao em torno onde ele ficava é inspecionada”, disse Meller. As pessoas que habitam a propriedade também passam por exames. A doença, nos animais, não possui cura.

Segundo Meller, não há uma proibição de realização de eventos com equinos. Entretanto, as autorizações para realizar os mesmos só serão feitas após a comprovação, por exames laboratoriais, que os animais não estão doentes.

“Como o tempo para o resultado do exame é de cerca de três dias e não há laboratórios no estado que realizem este teste, orientamos que os eventos desta semana fossem cancelados. Com a documentação necessária, eles poderão ocorrer”, esclarece o diretor técnico.

mormo

 

Fonte: Globo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...