Volteio: Brasileira de 9 anos disputa Mundial

Clara Tremblay, atleta de volteio, é a mais nova de todo Jogos Equestres, na França.

O hipismo costuma ser o esporte em que atletas mais velhos conseguem bons resultados, como o canadense Ian Millar que, aos 67 anos, está nos Jogos Equestres pela sétima vez. Mas, no volteio, modalidade que é uma espécie de ginástica artística sobre o cavalo, uma brasileirinha de nove anos é o destaque da equipe que está na França para a competição mais importante do ano, que tem início nesta terça-feira. Clara Tremblay é a “voadora” da equipe, aquela que é levantada pelos companheiros durante a apresentação. A jovem atleta afirma não ter receio de fazer acrobacias a quase seis metros de altura:

– Eu não tenho medo porque confio nas minhas duas bases, a Thaís e o Izac. Eles me passam muita confiança – explicou a pequena atleta.

Thaís, uma das mais experientes, treina com a seleção há quase quinze anos e explica a importância de Clara para o time:

– Uma equipe tem seis atletas, e três sobem no cavalo de cada vez. Ela tem que ser pequena, bem leve, porque ela que vai lá em cima. Ela é a mais madura entre todas nós. Às vezes converso com ela de igual para igual e eu tenho vinte anos a mais que ela, que tem uma maturidade incrível – explicou Thaís.

A apresentação de uma equipe de volteio tem música de fundo, e os atletas precisam fazer acrobacias em cima do animal. Os cavaleiros e amazonas precisam apresentar equilíbrio, sincronia, integração e espírito de equipe. Existem elementos obrigatórios e livres, e as notas são dadas conforme o grau de dificuldade da apresentação.

Entre os sete atletas da seleção brasileira, está apenas um homem, Izac Araujo, na seleção há 15 anos e que esteve nos últimos dois Mundiais. Ele, 19 anos mais velho que Clara, afirma que a jovem amazona dá uma aula de maturidade:

– Ela tem cabeça de adulto, e eu tenho cabeça infantil. A gente se completa. É uma relação de irmão, um ajuda o outro. E, neste caso, eu sou o irmão mais novo – disse Izac, sorrindo.

Clara tem uma rotina cansativa, dividindo a escola com o esporte. O dia a dia dela na hípica é igual ao de um atleta de qualquer outra idade. Ela corre, alonga, ajuda a aquecer o cavalo, se prepara em uma espécie de totem e aí sim vai para a parte que mais gosta:

– Eu quero mesmo é subir no cavalo. A coreografia que eu mais gosto é a de parada de mãos. Eu seguro na mão do Izac e fico lá em cima – disse a atleta.

Luciana, mãe da pequena estrela do hipismo nacional, está com um sorriso de orelha a orelha com a presença da filha na equipe. Ela, que acompanha a pupila no Mundial, conta que a paixão pelos cavalos vem desde muito cedo:

– É claro que eu vim para a França, quero ver tudo de perto, vai ser emocionante. Ela sempre gostou de cavalos e faz três anos que treina volteio. A Clarinha começou por conta de uma indicação de uma prima dela. É um esporte importante pois ensina muito a trabalhar em equipe – explicou a mãe “coruja”.

Nos Jogos Equestres, são 18 equipes na disputa do volteio e, ao todo, 175 atletas. No último Campeonato Mundial, em 2010, a seleção ficou na sexta posição, mas o resultado dificilmente será repetido. O grupo está totalmente renovado, e o objetivo é disputar a final, entre os 12 melhores.

– O Brasil já teve um resultado muito bom há quatro anos. Ficamos em sexto, com uma equipe experiente. Desde o ano passado, o time foi praticamente inteiro renovado. Nossa ideia é conseguir se classificar para a próxima fase, ficar entre os doze. Na final, quem sabe conseguir subir e ser um dos dez primeiros colocados – disse Thaís.

Além de Clara, Thaís e Izac, o time ainda conta com Fernanda Dib Gabrie, Gabriela do Amaral Pena, Izac Silva de Araujo, Marina Guedes Gargantini, Olivia Tavares Vieira da Cunha e Yasmin Rossini Rahme. A equipe está quase completa na França para os Jogos Equestres. A ausência é o cavalo Olegário, que ficou no Brasil, pois a montaria usada na competição é dada pela organização.

As atletas fizeram um período de treinamento na Alemanha, onde conheceram o cavalo que vão usar no Mundial.

As provas de Volteio começam amanhã as 9h30 (hora local) e o Brasil será a quarta equipe a se apresentar.

volteio

volteio

Fonte: Globo

Curta o Hipismo&Co no Facebook.

Hipismo e suas modalidades

Já escutei algumas pessoas dizendo que Hipismo é somente o salto. Por isso resolvi vir aqui e tentar explicar um pouco o que é hipismo e suas modalidade.

No Wikipédia diz: “Hipismo é a arte de montar a cavalo que compreende todas as práticas desportivas que envolvam este animal.”

O hipismo é o esporte equestre, algumas pessoas dividem em clássico e rural. Dentro do esporte tem as modalidades: salto,  adestramento, concurso completo de equitação,  volteio,  enduro, atrelagem, três tambores, 6 balizas, rédeas, laço, polo e outras.

Apenas três modalidades são olímpicas: salto, adestramento e concurso completo de equitação. O salto parece ser o mais conhecido, acho que isso se deve por causa do cavaleiro Rodrigo Pessoa que se destacou em olimpíadas e levou essa modalidade para a mídia. Mas não podemos esquecer das outras que são tão bonitas quanto o salto, cada uma com sua característica e destaque.

Se alguém tiver mais informações sobre o assunto serão muito bem vindas, pois não me considero “expert” no assunto e sempre estou aprendendo coisas novas sobre o mundo dos cavalos.

hipismo

 

Curta a página do Hipismo&Co no Facebook.

Adestramento, Volteio e Rédeas Longas em Curitiba

No próximo final de semana acontecerá a 1ª Etapa do Ranking de Adestramento Paranaense na Sociedade Hípica Paranaense em Curitiba. As provas que começam as 10h no sábado e no domingo, contarão com as séries Escola, Iniciante, Elementar, Preliminar, Média I, Média II, Forte e Especial.

Os campeões de cada categoria irão ganhar prêmios oferecidos pelos parceiros do Adestramento Paranaense: Selaria Dias, Dressur e Winner Horse.

No sábado (23/03) os cavaleiros do Centro Paranaense de Arte Equestre apresentarão um número de Rédeas Longas e outro de Volteio com seus cavalos Lusitanos.

Se você estiver em Curitiba não  deixe de prestigiar o adestramento paranaense, a entrada é franca.

Volteio
Volteio
Volteio
Volteio
Rédeas Longas
Rédeas Longas
Rédeas Longas
Rédeas Longas

Vem aí a 3ª Etapa do Estadual e Nacional e Volteio

Em 16 e 17/4, a nata do Volteio se reuniu na Sociedade Hípica Paulista para disputar a 2ª Etapa Estadual e Nacional da modalidade. E, sem dúvida, o Volteio brasileiro atravessa grande fase como a inédita conquista do 6º posto por equipes nos Jogos Equestres Mundiais 2011 em Kentucky (EUA).

A iniciação no Volteio bem como no Adestramento é, sem dúvida, base para o desenvolvimento em todas as outras modalidades. E, cada vez mais, jovens talentos buscam essa atividade física e criativa que paralelamente também desenvolve o trabalho em equipe e, é claro, o respeito pelo cavalo. O esporte consiste no volteador fazer acrobacia sobre o lombo do cavalo enquanto ele é mantido no galope .

O objetivo do Volteio é o aprimoramento da harmonia, do sincronismo e da ressonância com o cavalo em movimento. Ao todo, na temporada 2011, são cinco as disputas de Volteio durante o ano. A 3ª Etapa acontece em 15 de maio na Sociedade Hípica de Campinas.

O time brasileiro que fez bonito nos Equestres Mundiais 2010 em Kentucky; foto: Rafael Christianini